Genghis Khan, trágico destino

sexta-feira, 15 de julho de 2011


Durante 15 anos, Jorge Pierangelini raspou todos os dias a cabeça com uma lâmina de barbear. “Era um ritual para manter o visual”, conta. Ele era o líder do grupo Genghis Khan, que estourou em 1979 cantando em inglês.

As roupas e os penteados inusitados dos quatro integrantes marcaram época. O sucesso era tanto que, em um domingo de 1982, eles pegaram três pontes-aéreas para participar em programas de televisão do Rio, São Paulo e Rio no mesmo dia.

Em 1985 lançaram o último LP de sucesso – já cantando em português – com o hit “Comer, Comer”. Longe da mídia, Jorge responsabiliza a onda de música infantil pelo desinteresse das gravadoras.

Uma série de fatalidades definiu o destino do Genghis Khan. Em 1990, Omar Leon, um dos vocalistas, voltava da Europa quando sofreu um enfarte duas horas antes do avião pousar em Guarulhos. No ano seguinte, Tuly, a loira do grupo, morreu vítima de câncer de ovário.

Jorge e Tânia Souza, a morena, uniram-se para suportar a dor e interromperam a carreira artística. Ele passou a produzir espetáculos musicais. Ela trabalhou como recepcionista de eventos e hoje é gerente de uma loja de roupas.

Atualmente, preparam a volta do Genghis Khan, com dois novos integrantes. “Vamos retornar com uma atração nunca antes vista no Brasil e terá o mesmo impacto que teve a primeira formação”, diz Jorge. O relançamento do grupo está prometido para 2001.

Tragédias à parte:

Confira abaixo a bizarríssima apresentação no Fantástico em 1980 da música Moscow. Imperdível! Atente para um detalhe mais ou menos aos 34 segundos do vídeo, o que significa aquele palhaço e o que ele está fazendo com a calça?



E o sucesso COMER COMER numa bizarra apresentação no programa do Bolinha



Ahahhaa. Dá saudades, sabiam?

Bjks,

Alyne Lauper

Seguidores